Untitled
Dicas Top da semana

Filhos, quem já teve que decidir a mudança de escola?

Quando vamos escolher uma escola para nossos filhos levamos em conta vários pontos:

  • idade ideal para iniciar o ambiente escolar
  • se a criança já fala e se já saiu da fralda
  • estilo de vida familiar
  • convivência com outras crianças ou somente com adultos
  • ambiente escolar
  • espaço físico da escola
  • filosofia da escola, etc e etc

E com isso esperamos proporcionar o melhor para aceitação dos nossos pequenos. Mas quando chega a hora de mudança escolar? Como saber a hora? Como escolher? Como decidir?

Eu e meu marido passamos por isso duas vezes , levando em conta que tenho um filho, ele tem dez anos e entrou na escola com três anos e meio.

Quando fui escolher a primeira escola dele, o levei junto na visitação das minhas escolhas e não hesitei em matriculá-lo na escola que ele se sentiu bem e me pediu para ficar, já que a escola era tradicional em receber crianças pequenas, de professores antigos e experientes, esses foram o meu termômetro, no começo é muito difícil e mesmo ele chorando no início, que parte nosso coração, sabia que ficaria bem, pois passados cinco minutos o choro já havia cessado e ele estava feliz, rindo e brincando e a gente agoniada na recepção, rsrsrsr. Logo após dois anos na mesma escola optamos por matriculá-lo em uma escola bilingue, nova na cidade onde a filosofia era um pouco diferente da outra, as salas de aula amplas e lúdicas, o formato das carteiras, sentavam em grupos em mesas maiores não em carteiras individuais, o espírito de coletividade, o fortalecimento do indivíduo transmitindo segurança e naturalidade para passar por situações importantes como uma oratória, uma entrevista de emprego até mesmo uma defesa de tese, tudo isso introduzido desde pequenos e de maneira natural. Mas sem dúvida a apresentação a uma nova língua, no caso o inglês foi um dos fatores dos quais optamos pela mudança, além de estar há cinco minutos da minha casa. O espaço físico era bem maior e a escola era período integral. A adaptação foi muito fácil pois ele foi com dois outros amiguinhos e o período maior na escola não foi um sofrimento, pelo contrário, sempre gostou de ir para escola e estar lá, isso é um fato muito importante nessa primeira fase, pois o estímulo foi fundamental para essa formação escolar, não era chato ir para escola. É uma fase onde queremos que eles se socializem, brinquem e aprendam a passar por situações que se estivessem em casa, principalmente como filho único, seria poupado. Mas o tempo passou, ele cresceu e novamente começamos a cogitar a mudança de escola. Dessa vez a busca por uma escola de formato mais tradicional, porém nem tanto, uma escola onde professor é o mestre, é ouvido e a criança é motivada, respeitada em sua opiniões e encorajada a estudar de forma que descubram que isso é bom, focando o vestibular, afinal vão passar por essa peneira. A escola é apoiada em livros e faz uso da tecnologia utilizando o ipad como um material para agregar conteúdo e motivação mas em períodos determinados sem descartar a importância do professor e do material didático , livros…

Meu filho foi agora para o sexto ano, o que corresponde a nossa antiga quinta série.

Quando recomeçamos a busca por uma outra escola ele não sabia pois ainda nada estava decidida a mudança e não seria legal gerar uma ansiedade desnecessária na criança. Quando finalmente tomamos a decisão contamos para ele e o levamos para conhecer a nova escola, não foi fácil, as comparações apareceram e a hesitação da parte dele chegou, afinal gostava muito da atual escola, mas aí entra onde nós pais temos que pensar e agir, direciona-los no que acreditamos ser o melhor para eles. Novamente ele foi com dois amiguinhos para nova escola e está passando por adaptação, mas todos estão. É um começo de ciclo, sexto ano, todos ali vieram de outras escolas e estão passando pela mesma situação, por isso acreditamos no empenho da escola em facilitar esse período. A escola começa no fundamental, não tem primário e nem infantil, com isso chegamos a conclusão que seria o período ideal. Apesar de já ter ido o primeiro mês ele ainda diz que prefere a antiga escola, contudo acorda bem, se prontifica em ir, faz comentários do que aprendeu, das novas amizades e não sentimos infelicidade nele, acredito que logo logo esse período se normalize e esperamos e acreditamos novamente em ter feito o melhor para ele, deixando isso claro de forma amorosa, segura e aberta para que ele entenda nossa posição de sempre buscar o melhor .

E vcs já passaram por situações semelhantes? Como foi? Deixe seu comentário aqui, é muito importante saber de vocês também. Espero fazer um post futuro dizendo como estamos com a nova escola…

Bjs !!!

Escrever comentário

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com